quinta-feira, janeiro 31, 2008

Palácio Paranaguá de Ilhéus

PRECISAMOS ABRIR AS PORTAS DA NOSSA HISTÓRIA

Do Palácio Paranaguá, de 1907, muito já se sabe sobre a sua importância como monumento histórico, que se assemelha, no estilo neoclássico, à residência de verão do imperador D. Pedro II, em Petrópolis, transformada no Museu Imperial de Petrópolis (FOTO ABAIXO). Nosso Palácio, certamente, não tem outra vocação, senão ser transformado no grande museu de Ilhéus, cidade cuja história se funde com a história do Brasil.

É importante e urgente um novo museu porque vivemos uma crise, em que nosso acervo cultural está disperso e vulnerável. É evidente que para que isto seja feito, é necessário dispor de uma nova sede municipal, permitindo ao executivo deixar o velho prédio.

Preocupa o povo, saber onde estão e como estão nossos acervos históricos. Um novo museu deve representar um novo ânimo para resgatar acervos vulneráveis como o do Museu do Cacau, onde estava exposto material indígena (tuba funerária,etc), mobiliário dos Coronéis, etc. e do Museu do Mar com suas fotografias e peças históricas.
___________________________________________________
Por enquanto, só algumas fotos Históricas
estão em Exposição no Palácio Paranaguá.










Acervo nos temos mas é preciso contar com um projeto que a sociedade sinta-se motivada para realizar novas doações. Na fotografia, por exemplo, temos um acervo de coleções públicas e particulares que precisa ser unificado num grande painel fotográfico de nossa historia. Também existe um caminho a ser trilhado para recuperar diversos escritos, gravuras e mapas em outros arquivos históricos de museus nacionais e europeus.

Não poderíamos deixar de registrar a nossa indignação, na qualidade de cidadãos ou visitantes, quanto ao novo ataque do pichador que já retratamos nesse fórum no caso do Obelisco. Nos sentimos novamente agredidos com a pichação da exposição fotográfica comemorativa, e reafirmamos que Ilhéus não pode tolerar esse tipo de depredação que configura um desrespeito a nossa cidade, e uma atitude antidemocrática.

Mais Informação:

R2CPress
Palácio Paranaguá, por Prof. Arléo Barbosa

A Voz de Ilhéus – Bote a Boca no Trombone - 22/12/2007
100 anos do Palácio Paranaguá


Agravo - Aqui o Bicho Pega – 26/12/2007
Centenário do Palácio Paranaguá

Centro Histórico de Ilhéus

O PROJETO SHOPPING A CÉU ABERTO
------------------------------------------------------------------
O cabeamento subterrâneo é uma das obras fundamentais para a valorização do Patrimônio Histórico de Ilhéus.
Alguns projetos criaram expectativa em Ilhéus nos últimos dois anos e foram amplamente discutidos com a sociedade. O Projeto do Shopping a Céu Aberto é um deles. Foi um dos projetos mais debatidos, envolveu a Câmara de Vereadores, representantes de vários setores organizados da sociedade civil, como a Associação Comercial de Ilhéus - ACI, o SEBRAE, e, em especial os Empresários do Shopping Quarteirão Jorge Amado (Asseja).

Segundo as notas públicas, o projeto constava inicialmente com recursos de R$ 1.560.000,00, do convênio assinado com o Ministério das Cidades, “para instalação de novo piso, sistema de cabeamento subterrâneo para fios da rede elétrica e telefonia e nova iluminação nas vias".
O Quarteirão Jorge Amado que, em seu conjunto arquitetônico, é um pequeno mosaico da velha Ilhéus, constitui uma de nossos principais atrativos culturais. Várias intervenções são necessárias, incluindo a restauração de prédios, regras para outdoors e outras alterações visuais existentes, etc.

..........................................CONFIRA AS NOTÍCIAS:

Agencia de Notícias - União dos Municípios da Bahia - 02/02/2007:
Ilhéus busca verbas para infra-estrutura em turismo

Jornal Foco Regional - 04/07/2007 :
Vereadores discutem implantação do Shopping a Céu Aberto

quarta-feira, janeiro 30, 2008

Sinalização Turística da Costa do Cacau

A não realização de ações e projetos governamentais assumidos publicamente, é inadmissível. No mínimo, a sociedade deveria ser bem informada das razões de seu cancelamento e as perspectivas de sua execução. O Projeto de Sinalização Turística da Costa do cacau é um exemplo de projeto assumido pelas autoridades, e divulgados nacionalmente, mas que não aconteceu.

Ilhéus e a Costa do Cacau permanecem sem sinalização turística. Algum condutor já lhe perguntou como se faz para chegar até Itacaré?
Quando falamos do Projeto de Sinalização Turística da Costa do Cacau, nos referimos ao grande Programa de Desenvolvimento Turístico do Nordeste – PRODETUR/NE, que envolve recursos significativos do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, administrados pela União e Estados.
Várias regiões têm sido beneficiadas com esse projeto, mas a denominada Costa do Cacau, no sul da Bahia, é discriminada e não entra no pacote, mesmo o Esatdo tendo anuncioado a sua execução, a pouco mais de dois anos, em reunião com representantes municipais e do “trade” turístico Hotel Opaba, e amplamente divulgado.
......................................................................................................................................
A imprensa regional publicou: “ILHÉUS GANHARÁ NOVA SINALIZAÇÃO TURÍSTICA” com placas indicativas de destinos, atrações, pontos turísticos e orientação para motoristas e pedestres, além de mapas das cidades A obra seria da Superintendência de Investimentos do Turismo do Governo do Estado, e a empresa vencedora da licitação (TTC Engenharia de Tráfego e Transportes), que executaria o projeto nos municípios da Costa do Cacau, com previsão de início em 2006.
O Secretário de Turismo em exercício na época, Raymundo Mazzei, reconheceu que Ilhéus “tinha” uma sinalização turística precária” . Vamos deixar aqui registrados, as palavras, muito bem colocadas, do próprio Secretário, sobre a importância da sinalização turística e a falta que ela nos faz.
E não deixe conferir nossos links com mais informação sobre o projeto, a divulgação em mídia nacional do município de Ilhéus e a Costa do Cacau como beneficiados e a cobrança da Deputada Ângela Souza.

Com a palavra, o Secretário Raimundo Mazzey,

”A ação faz parte de um conjunto de medidas que visa garantir a eficiência e a segurança nas vias urbanas e rurais que levem a pontos turísticos. A sinalização garante ainda o aumento de competitividade ao “trade”pois auxilia no desenvolvimento de um padrão de qualidade em serviços, também facilitando o acesso de turistas a estes equipamentos. O dirigente acredita que o projeto dá uma grande contribuição para que se possa difundir o conhecimento dos atrativos e desenvolvimento da atividade turística”.

"Desta forma, acredita, o município potencializa a geração de empregos e divisas, pois facilita o acesso aos equipamentos e pontos turísticos. Outro ponto destacado pelo secretário é a proximidade de Ilhéus com a principal rodovia brasileira, a BR 101. As placas servem para orientam e atrair turista. “ “Nosso município tem grandes atrativos e vários tipos de motivações turísticas”. Uma correta sinalização tornará mais fácil a vida de quem chega e a descoberta das belezas naturais e do patrimônio local.”

'As únicas placas mais novas são um improviso"


Acompanhe o Noticiário:

Terra/Turísmo (do Correio da Bahia) - 14/09/2003

"Bahia ganha projeto de sinalização turística"

Jornal da Mídia - 15/09/2003

"Lançado O Projeto de Sinalização Turística da Bahia"


Salvador da Bahia/Imprensa - 19/09/2003

"Bahia ganha projeto de sinalização turística"

Secretaria de Turismo e Cultura -
25/10/2005

" Governador assina pacote de obras turísticas"

Ilhéus Amado (Informe Prefeitura Municipal, por Aderino França)- 21/01/2006

"Sinalização turística entra na fase final de elaboração"

Foco Regional - 21/08/2007

"Ângela Sousa pede prioridade na sinalização turística da costa do cacau"

terça-feira, janeiro 29, 2008

Sinalização Horizontal em Ilhéus

Na avenida Lomanto Junior, a única grande via urbana de Ilhéus que resiste ao tempo, sinais da sinalização horizontal, já na Litorânea Norte, inaugurada a oito anos, nunca houve pintura.

O que pudermos fazer em nossa cidade e região, que possa ajudar a evitar acidentes no trânsito, devemos fazê-lo com urgência e atenção especial. Os projetos de sinalização vertical (regulamentação, advertência e indicação) e sinalização horizontal fazem parte do sistema de sinalização de trânsito, e constitui-se do principal balizador da conduta dos usuários da via pública, sejam eles motorizados ou não.

A Sinalização Horizontal são as linhas, marcações, símbolos e legendas, pintados ou apostos sobre o pavimento das vias. Tem por objetivo organizar o fluxo de veículos motorizados, ciclistas e pedestres e é complementar a sinalização vertical.


“Nenhuma sinalização de meio da pista das principais vias da cidade. Está correto?”


Consultamos essas e outras informações no Código de Trânsito Brasileiro – CTB, Lei 4.905/97, em vigor desde 1998, onde estão as normas e regras gerais do Sistema Nacional de Trânsito. O Conselho Nacional de Trânsito – COTRAN, o Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN e o Departamento de Trânsito dos Estados e do Distrito Federal – DETRAN são os órgãos superiores competentes.

A municipalização é um dos princípios do Código para o Sistema Nacional de Trânsito. Segundo o DENATRAN 22 municípios baianos já atenderam as prerrogativas e já mucipalizaram o trânsito.(Confira no DENATRAN). No sul da Bahia, Itapetinga, Itabuna e Ilhéus estão acordados no processo. Em Ilhéus, a mucipalização deu-se através da Secretaria de Transporte e Transito de Ilhéus – SETRANS, que já atua em algumas atribuições como a instituição do grupo de Agentes Municipais de Trânsito, com autoridade legal.

Mas temos muito a fazer e a sinalização horizontal é uma delas. Segundo o Código de Trânsito Brasileiro, no seu Inciso III, está entre as atribuições do município, “implantar, manter e operar o sistema de sinalização, os dispositivos e os equipamentos de controle viário”. E acreditamos que isto dependa mais de trabalho e boa vontade para elaborar um projeto de acordo com as convenções e uniformizações prevista no CTB, do que propriamente, de recursos financeiros.

Com a palavra, o Presidente do DENATRAN na apresentação do Código Brasileiro de Trânsito.

“Esperamos que tal publicação faça com que os projetistas que atuam no Sistema Nacional de Transito sejam levados a pensar em todos aqueles que convivem nas vias publicas, especialmente os pedestres, ciclistas, motociclistas e condutores, em áreas urbanas e rurais , com uma visão mais solidária, objetivando reduzir o índice e severidade dos acidentes de transito”

quarta-feira, janeiro 23, 2008

Rute Colares - Cidadã Ilheense


Precursora da Educação Ambiental no Sul da Bahia. Pioneira de práticas ambientais e da defesa ecológica em Ilhéus, a bióloga Rute Colares atua a mais de duas décadas em diversas causas, a exemplo da luta contra o aterro dos manguezais, a proteção da Mata da Esperança e da Lagoa Encantada. Pois então, finalmente, ela recebeu o título de Cidadã Ilheense.

Rute veio do Espírito Santo com sua família no final da década de setenta, e logo tornou-se Ilheense de coração, vestindo a camisa das causas de nosso povo. Foi educadora de centenas de alunos de nossas melhores escolas públicas e privadas. E com tal, inovou desde o início, construindo o processo educativo para além da sala de aula, nas atividades de campo e feiras de ciência. Assim, ajudou a despertar em todos nós, precocemente, a visão crítica da realidade e o interesse pela ecologia.
Rute Colares e André Ruschi
Rute Colares e André Ruschi




André Ruschi e Rute Colares: Pioneirismo com o primeiro diagnóstico ecológico de Ilhéus, relatório às autoridades atestando degradação ambiental e sugestões, e primeiro encontro da sociedade civil para criação de uma organização ambientalista.

Essas coisas aconteceram no início da década de oitenta, quando ela trouxe a Ilhéus, o ambientalista André Ruschi. Alguns anos depois, em 1986, protagonizamos juntos com apoio do jornalista Valério de Magalhães, o que veio a ser a primeira denúncia pública e ocorrência policial contra uma agressão ambiental em nossa região.




Em 1986, protesto público e ocorrência policial, motivado pela defesa ecológica. Como funcionária pública, lutou bravamente contra o aterro de manguezais na cidade e foi uma das principais articuladoras da transformação da Lagoa Encantada em Área de Proteção Ambiental e da Mata da esperança em Parque Municipal. Nunca deixou de contribuir e atualmente atua como coordenadora do Projeto Orla. 

Professora Rute só não conseguiu vencer a ignorância dos interesses adversos ao bem comum, mas construiu uma nova geração mais consciente e atenta, da qual faço parte. Por todo seu empenho e seriedade, nada mais justo é reconhecê-la como cidadã ilheense. Parabéns a Câmara de Vereadores.

Projeto Orla em Ilhéus

A gestão do litoral de Ilhéus e região, vive uma grave crise marcada por impactos ambientais, e ocupações irregulares. Sem projeto e um plano de gerenciamento adequado, o município não segue uma plano diretor, não planeja estrategicamente, não combate as agressões ambientais, e nem se articula para implementar os projetos prioritários de que necessita.


A reestruturação da Orla de Ilhéus esta no centro das prioridades. Chegou a hora de reverter, pelos menos, um, entre tantos passivos ambientais gerados pela construção do Porto Internacional do Malhado, a transfiguração do cenário primitivo da  “Princesinha do Sul”. Agora, o projeto de uma nova Orla Central  pode transformar esse grande impacto na Avenida Soares Lopes, em um ponto positivo de retomada de qualidade no espaço urbano da cidade.



O Projeto Orla (Projeto de Gestão Integrada da Orla Marítima) teve sua primeira fase concluída com a Audiência Pública realizada em 26 de novembro de 2007, no Ilhéus Hotel, onde foi apresentado, aprovado e eleito seu Comitê Gestor. O processo foi coordenado pela bióloga Rute Colares, que, independentemente das crises administrativas que ocorreram no município, cumpriu os prazos, e legitimou o processo de ajuste  com o governo federal. Mas parou!

A Audiência Pública do Projeto Orla, definiu a Avenida Soares Lopes,
 o bairro de São Miguel e a Praia do sul, como as três áreas prioritárias.

A reurbanização da Orla Central é um marco histórico entra a velha,
e a nova Ilhéus, renovando a auto-estima de nosso povo e de nossa cidade.

No âmbito federal o projeto integra os Ministério do Meio Ambiente e o Ministério do Planejamento, no âmbito da Secretaria do Patrimônio da União. Seu objetivo é “o ordenamento dos espaços litorâneos sob domínio da União, aproximando as políticas ambiental e patrimonial, com ampla articulação entre as três esferas de governo e a sociedade”. Existe verba!

Orla Sul, a preferida dos turistas, também sem urbanização.


Temos, em mais um governo, mais uma oportunidade de enfrentarmos nossos problemas urbanos, e articularmos, concretamente, uma política de desenvolvimento de nossa orla norte, central e sul. Para isso, é necessário atender tecnicamente a legislação ambiental, contar com a participação da sociedade, e planejar não apenas, as obras que podemos realizar em curto prazo, mas a evolução de um projeto maior, em médio, e longo prazo.

O projeto Orla é um dos painéis mais importantes de gestão ambiental no sul da  Bahia, e uma das maiores motivações para escrever sobre a defesa de nossa cidade, cultura, e meio ambiente.   

São Miguel, impactos ambientais, prejuízos à comunidade e muitas incertezas.


..............................................................
Confira a Reportagem:


Mais Informação sobre o Projeto Orla:

Mar, Os Cuidados Necessários

Acorda Meu Povo recebeu uma importante contribuição do Primeiro Sargento BM HAFNER, do 5º Grupamento de Bombeiro Militar, sobre a reportagem "O afogamento de Elzon" sobre a Segurança no Mar. Em seu comentário, o Sargento nos informa sobre os cuidados que precisam serem tomados nesses casos, e como sabemos, educação e informação pode fazer muito pela nossa proteção e pela nossa vida. Estamos agradecidos. CONFIRA AQUI

domingo, janeiro 20, 2008

Ilhéus de São Sebastião

Padroeiro de Ilhéus e Guardião do amor.



"FOCO NA FÉ E NA ESPERANÇA"

São Sebastião é saudado hoje (20 de janeiro) pelos discípulos de Cristo no mundo inteiro, Católicos e Espiritualistas em geral. No Brasil, também reúnem-se em seu nome, através do sincretismo religioso africano, os umbandistas, no Rio de Janeiro, representando por Oxossi, e os adeptos do Candomblé, na Bahia, representando Ogum.

Ilhéus é afilhada dele, que junto com São Jorge e Nossa Senhora das Vitórias, representam o nosso espírito guerreiro e a eterna esperança em nossa terra, e nas origens, crenças e tradições de nosso povo.


Itacaré, Olivença e Ilhéus consagram São Sebastião. Na Catedral de Ilhéus, acontece o ponto alto das comemorações, onde se destaca a fidelidade dos estivadores, a participação da Polícia Militar, de autoridades públicas e de todo o povo.
.
Nosso Bispo Mauro, Padre João, Padre Cristo, Padre Zeca, dentre outros, conduziram o culto ao Santo Discípulo, relembrando seu exemplo de bravura e restaurando nosso compromisso com a defesa da verdade, da justiça e dos pobres.

O Bispo pediu a colaboração da prefeitura e de todos para recuperar e manter a Catedral de São Sebastião, como "um patrimônio cultural, não só dos católicos mas de toda a comunidade". Ele destacou que apesar da Catedral ser cartão postal de Ilhéus e de sua importância, nada é cobrado e nenhum "Royalties" lhe é garantido. Por isso, ressalta a necessidade da participação de todos.

A reforma está acontecendo com dificuldades e muito esforço. Os dois vitrais danificados demonstra que ainda há muito por fazer.





sexta-feira, janeiro 18, 2008

O fantasma da Febre Amarela

Uma dupla mortal

Haemagogos e Aedes aegypti

A ameaça da dengue e a possibilidade de reurbanização da febre amarela são os mais graves problemas de Saúde Ambiental e da Atenção Primaria a Saúde, no Brasil, e em grande parte dos países tropicais. O vírus da dengue e da febre amarela são do mesmo tipo, um flavivírus, mas os vilões dessa tragédia, que matou milhares de pessoas no mundo, são principalmente dois mosquitos: o Haemagogos das matas e zonas de fronteira agrícola, e o Aedes aegypti, adaptado as cidades. Os dois juntos podem migrar o vírus da febre amarela das zonas silvestres para as cidades, formando uma dupla mortal.

Trata-se de uma doença zoonótica: enfermidades que acometem animais e pode ser transmitidas ao homem. Já temos um surto nas matas e estamos diante da terrível ameaça, representada pela possibilidade do vírus da febre amarela se propagar com o Aedes aegypti. Para que isto ocorra, é necessário que uma pessoa contaminada pela febre amarela, entre três e cinco dias, seja picada por um Aedes aegypti, e este, infectado, transmita para o homem, tornando-o um agente transmissor. Nessa caso, a febre amarela passaria a ser transmitida da mesma forma que a dengue, no ciclo homem x Aedes aegypti x Homem.

Haemagogos

Para entender e combater a febre amarela, portanto, é fundamental, entender e combater a dengue. A febre amarela foi extinta das áreas urbanas desde 1942, mas é uma doença muito conhecida dos Povos da Floresta e pode matar adultos e principalmente crianças com facilidade, provocando uma infecção bem mais severa que a dengue, por isso, dos cinco primeiros casos confirmados no Brasil, só uma pessoa sobreviveu.

Aedes aegypti

Por isso, só estaremos seguros se vencermos a batalha contra o Aedes aegypti, apesar do clima favorável e das dificuldades de controle. Mas já se vão cinco séculos e a dengue está aí, firme e forte com 563.000 casos no último ano. Nesse período, o Mato Grosso do Sul registrou o recorde nacional de mais de 100.000 infecções, seguidos do Mato Grosso, Rio de Janeiro e Minas Gerais. A dengue aumentou 203% no centro-oeste e 209,04% no sul; foi reduzida em 46,9% no sudeste e em 53% no norte e no nordeste manteve os índices.

A Bahia é o quarto estado em números de infecções no nordeste, com 1143 casos. A Bahia registrou 2.600 casos de dengue em 2007 e já foram constatados focos em 174 dos 417 municípios. No sul da Bahia, segundo a Secretaria Estadual de Saúde, as cidades de Itabuna, Ilhéus e Coaraci, têm o maior número de notificações com duas mortes, uma em Ilhéus e outra em Canavieiras.

Quem precisa ser vacinado?

Vacina eficiente nós temos, nós que inventamos e exportamos pro mundo inteiro, mas isoladamente, vacina não é solução definitiva. Primeiramente, porque a vacinação tem contra-indicações: crianças até seis meses e até um ano com maior risco de efeito colateral, qualquer imunodeficiente, como os portatodares do hiv, pacientes de quimioterapia e radioterapia, os alérgicos a ovo, gelatina e a antibióticos eritommicina e Kanmicina, os que fazem uso de corticóides, etc. Também há restrições para os doadores de sangue. Depois, a reurbanização da febre amarela em tempos de globalização, traria prejuízos imensuráveis ao país.

Turistas goianos oferecem
alto risco ao sul da Bahia.

Até o momento, a orientação do governo é que sejam vacinadas, os moradores das áreas de alto risco e os que vão viajar para esses locais: as regiões de mata e cerrado de Goiás, Mato Grosso do Sul e do Distrito Federal. Ontem (18.01.07), o Jornal Nacional (TV Globo) transmitiu essa orientação, só não frisaram a importância da vacinação dos que vão viajar para outras regiões. E é justamente isto que nos preocupa.

Apesar do sul da Bahia está em área de risco intermediário, já é sabido que nossa situação é de alto risco. Isto porque, o sul da Bahia é a principal opção de turismo de praia para os goianos, e todos os casos registrados até o momento foram de pessoas que viajaram para a zona de mata de Goias. Além do mais, é complicado e difícil monitorar se os nossos turistas estão ou não vacinados. Dependemos muito de campanhas de esclarecimento, especialmente através dos meios de comunicação. E é sempre bom lembrar que a vacina só tem validade por 10 anos e que ela deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da viajem, para que imunização ocorra.

Mais informação:

Pragas.com - Escola 24 Horas - FIOCRUZ

O afogamento de Elzon

Públicação da íntegra do comentário postado na reportagem "Proteção ao Banhistas", por Esaú Mendes. Aproveitamos a oportunidade para agradecer o Jornal "A TRIBUNA - Costa do Cacau" pela parceria e publicidade dispensada ao assunto.

..................................................................................................
O Comentário de um amigo

O Elzon era um grande amigo de quase duas décadas. Coincidentemete nos reencontramos após seu casamento (ocorido no último dia 17/12) na Praia dos Milionários, por volta das 13:20h do dia 31. Logo depois de nos despedirmos e marcarmos para passarmos a virada do ano juntos, com sua esposa (Emanuelle) outros amigos, veio a tragédia. Tremendo desespero e frustação tomou contade todos nós, pois acompanhhamos todo aquele drama de perto com a Manu.Quero registrar o incessante esforço do pessoal do resgate para tentar reanimá-lo. Lutaram ininterruptamente e bravamente até a chegada da ambulância com o médico e outros equepipamentos. Apesar de estar tomado pelo desespero percebi que com a chegada do médico que nada mais poderia ser feito, era mesmo o fim de uma preciosa vida. Talvez se um "desfribilador" estivesse chegado ao local um pouco mais cedo, essa triste história teria um outro fim...Quero só registrar mais uma vez (já que esse Blog o fez), que o Elzon realmente teve uma atitude de herói. Mesmo queixando-se de uma forte dor causada por uma tendinite na mão direita, se atirou ao mar para salvar pessoas que ele nunva havia visto, conseguindo ajudar tirá-las do mar. Infelizmente esse ato ceifou-lhe a vida, mas seu exemplo será eterno. Tenho certeza que o Elzon, um conquistense quase anônimo (pois era um empresário conhecido de muitos em Conquista), honrou sua terra natal e a todos que o conhecia com seu ato de bravura. Não tenho dúvidas, ele está com Deus!Agradeço a atenção.

Agradeço a atenção,
Esaú Mendes -Vitória da Conquista - Ba
16/1/08

sábado, janeiro 12, 2008

"Água-Vivas" no Sul da Bahia

As “agua vivas” ou “caravelas” provocaram um número recorde de acidentes no litoral brasileiro nesse final de ano. Elas parecem uma geleia e tem 95% do organismo composto de água. É uma espécie do grupo Filo Cnidária, parentes dos corais e anêmonas e um dos habitantes mais antigos do planeta. Já foram descobertas mais de nove mil espécies, que medem de poucos centímetros até mais de 2 metros de diâmetro e podem tentáculos chegam a 30 metros de comprimento.

Seu aparecimento é um fenômeno sazonal. O v
erão é seu tempo de reprodução e por isso elas aparecem mais nas praias. Como um mecanismo de defesa, elas atacam quem pisar ou tocar nelas. Nos seus tentáculos ficam os minúsculos arpões venenosos, que provocam as queimaduras.

As medusas tem criado problemas mais sérios nas praias espanholas e na Austrália com frequência, onde espécies mais evoluídas têm matado banhistas. Nossas espécies são menos perigosas mas podem causar queimaduras graves. Nas praias do Balneário de Praia Grande no Estado de São Paulo, entre os dia 27.11 e 2.12, o pronto socorro local efetuou 304 atendimentos.

Cuidados e Primeiros Socorros

A água viva só queima quando se sente atacada, isto é, se você pisar ou encostar nela. Fique atento na área de banho e na areia. Segundo Luiz Alonso Ferreira, biólogo marinho do Museu do Mar da Universidade Federal de Santa Catarina, se a queimadura acontecer:

Nunca lave o local com água doce, pois isso ativa as substâncias venenosas. Use água do mar ou soro fisiológico. Aplicar compressas de vinagre ajuda a reduzir a dor. Depois, com pele ainda molhada, jogue um pouco de areia seca, talco, creme de barbear ou farinha de trigo. Deixe por alguns minutos. Retire devagar a camada sobre a queimadura e procure orientação médica. Também pode-se aplicar compressas geladas ou/ e cremes corticóides sobre a queimadura.

Mais informação:

Urtiga -Dicas Verdes

Pesca e Dicas